5 Mitos sobre o Mentoring

mentoring mitos

Sendo o Mentoring um programa de desenvolvimento profissional é, muitas vezes, confundido com outros tipos de programa de desenvolvimento, como o Coaching, por exemplo. No entanto, são ferramentas diferentes que já foram explicadas num outro artigo chamado “Qual a diferença entre coaching e Mentoring?”, pode consultar para não cometer o erro de achar que estamos a falar do mesmo.

Na verdade a prática de Mentoring é bastante antiga, no entanto ficou um pouco esquecida. Foi só na década de 70 que esta prática voltou à tona, ganhou força nos EUA, nas escolas de Gestão, Economia e Ciências Humanas para o desenvolvimento de carreira.

Apesar do Mentoring ser uma prática antiga, ainda existem muitos mitos associados. No livro “Ferramentas de Mentoring”, Penim e Catalão (2018), enumeram alguns dos mitos mais comuns, conversaremos sobre eles e deixaremos claro o que antes poderia parecer “duvidoso”.

 

1. “Quem tem mais conhecimento e experiência é melhor Mentor. ”

Este é um mito bastante comum de ser reproduzido. Porém, nem sempre ter mais conhecimento e experiência é um indicador de que o profissional será um bom Mentor. Acima de tudo, porque para ser Mentor é preciso possuir disponibilidade mental, ter características específicas, como por exemplo, ter interesse genuíno em contribuir para o desenvolvimento de outras pessoas. Para além disto, é necessário também possuir competências chave para ser Mentor, como a comunicação e a assertividade. Assim, apenas a experiência dos anos acumulados não quer dizer na prática que será melhor Mentor.

 

2. “Quem tem funções de liderança é melhor Mentor. ”

No mesmo seguimento da análise anterior, podemos afirmar que a liderança, por si só, não quer dizer que o Mentor será “o melhor”. A função que o Mentor possuir deve estar de acordo com os objetivos traçados para o processo de Mentoring. O Mentor pode advir de qualquer função, desde que tenha as características e competências necessárias para o efeito.

 

3. “Mentoring é, basicamente, partilhar conhecimento e dar conselhos. ”

É bastante comum ouvir esta frase, até mesmo alguns Mentorados quando integram pela primeira vez programas de Mentoring acham que o Mentor vai dar os conselhos que ele precisa ouvir e quase que solucionar magicamente os seus problemas, no entanto, não é bem assim. Existe um processo a ser seguido, o mentor faz perguntas, clarifica questões, aconselha em grande parte das vezes não diretivamente, faz com que o próprio mentorado chegue às conclusões que procura. Assim, esta visão de que o Mentoring “basicamente” é partilha de conhecimentos e dar conselhos é redutora e limitadora do que é o processo de Mentoring, que na verdade abrange outras dimensões.

 

4. “O Mentorado é quem deve ter a iniciativa de pedir ajuda. ”

É muito comum em momentos de avaliação ouvir do Mentor que quem tem que pedir ajuda é o Mentorado, às vezes as pessoas esquecem que o Mentoring é feito da relação entre as pessoas. Independentemente de existir entre Mentor e Mentorado um canal de comunicação aberto, onde o Mentor informa o Mentorado que o pode contactar caso tenha necessidade, para a eficiência e eficácia do programa, é recomendado que exista um plano minimamente estruturado, com a periodicidade das sessões e os objetivos. Isto não impede que se estabeleça uma relação em que ambos possam entrar em contacto sempre que sentirem necessidade de o fazer.

 

5. “A chefia pode ser o Mentor do Mentorado. ”

Outro mito bastante comum, quase numa lógica de passar os conhecimentos adquiridos. No entanto, quando falamos de um programa de Mentoring estruturado, o mesmo tem como um dos objetivos abrir novas possibilidades, recursos e relacionamentos ao Mentorado, por isso, a chefia não é necessariamente a melhor pessoa para assumir este papel. Ambos podem ter dificuldade em estabelecer a relação de confiança, que é tão importante para que a relação de Mentoring flua.

 

Agora que já conhece 5 mitos do Mentoring, o que considera pertinente conhecer mais? Na Certificação em Mentoring falamos sobre o programa de Mentoring, competências do Mentor e ferramentas práticas para utilizar com o Mentorado. Conheça o nosso programa de formativo e invista no seu desenvolvimento.

Bianca Lima Santos

Bianca Lima Santos

Psicóloga | Formadora

Não se esqueça de partilhar!

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post comment